20/11/08

Teoria Reformista X Neomalthusianismo

Em tese a teoria reformista foi criada como contrariedade a teoria neomalthusiana, de acordo com o ponto de vista reformista, mesmo que jovem e numerosa uma população devido à alta taxa de natalidade esta não é a causa do subdesenvolvimento, mas a conseqüência de uma sociedade praticamente abandonada pelo estado. Em países desenvolvidos onde o padrão e o estilo de vida é alto e ocorre o controle de natalidade aliado ao planejamento familiar o controle da natalidade da grande massa ocorre de forma natural.

Em nações subdesenvolvidas uma população jovem só é um problema para o estado econômico de um país quando esta classe é abandonada nos requisitos de preparativos sociais como educação, ensino técnico, segurança e saúde. Este tipo de descaso gera um enorme fardo ao estado, devido a grande quantidade de mão de obra desqualificada que deverá incluir-se no mercado de trabalho. Como necessidade de equilíbrio social o correto é quando o estado toma conta destes jovens aplicando na sociedade melhorias sociais.

O investimento na educação é substancial na melhoria de todos os indicadores sociais de uma nação. Pois quanto mais miserável for a situação de uma família, menor será a consciência destes indivíduos sobre o planejamento familiar e ingresso ao mercado de trabalho. Assim quanto maior o grau de escolaridade de um individuo, menor será o numero de filhos do mesmo e conseqüentemente a queda da taxa de mortalidade. Portanto de todas as teses ou teorias, a teoria reformista é a que melhor define as necessidades e os fatores geradores de pobreza tentando contribuir para a queda do subdesenvolvimento neste países não desenvolvidos.

2 comentários:

tatagatinha disse...

Estou fazendo um trabalho sobre a expansão demográfica, e concordo plenamente com a Teoria Reformista, derrubou em cheio a Neomalthusiana.
E sua fala tmbm é muito admirável, parabéns!

Larissa Vilela disse...

util.